A estrutura didática de O LIVRO DOS ESPÍRITOS, palestra de Cosme Massi

..

.

 

00498 p.

Tendo restabelecido o contacto com os caros seguidores e todos os visitantes em geral, informamos que não temos estado de modo nenhum afastados do interesse pela cultura espírita.
Temos até já muito avançados uma série de trabalhos para publicar em “espiritismo cultura” e “espiritismo estudo”.
Para já vamos privilegiar uma abordagem metódica a uma obra central do vastíssimo legado de Hippolyte Léon Denisard Rivail, aliás Allan Kardec: “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”.

.

Sem ComM

Apresentamos hoje mais uma palestra da autoria do professor COSME MASSI, investigador e divulgador da cultura espírita de nacionalidade brasileira, que tem por tema a “Estrutura Didática de O Livro dos Espíritos”, a cujo ficheiro PDF é possível aceder pela ligação colocada ao fundo desta notícia.

.

No fim da palestra acima referida, o professor Cosme Massi respondeu a algumas perguntas do auditório, não audíveis na gravação. Devido ao interesse das respostas e para enriquecer esta notícia juntamos uma síntese de extratos de momentos dessas intervenções:

.

SOBRE A INTERVENÇÃO DE ALLAN KARDEC NA CONFIGURAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA

“…para edificar a doutrina espírita Allan Kardec usou uma metodologia própria. A obra tem muito dele.
Também há o equívoco de achar que a obra é exclusivamente dos Espíritos, a obra tem muito de Kardec que foi o seu coautor. Isso está demonstrado por vários autores. É uma obra também de produção humana; tem a produção espiritual e a produção do homem. Sofre todas as dificuldades da produção do homem…”

KARDEC NUNCA ENTENDEU O ESPIRITISMO COMO VERDADE ABSOLUTA;

“…Kardec contrariou firmemente a ideia de uma verdade absoluta de qualquer teoria ou doutrina.
O Espiritismo jamais se colocou, na visão de Allan Kardec, como detentor da verdade absoluta.
Em “A Génese” no Capítulo I, número 13, e seguintes, na definição do carácter da revelação espírita, vemos que o espiritismo é uma doutrina eminentemente progressista.
(…)
Kardec afirma no nº 55 no referido Capítulo I de “A Génese” que: “…caminhando a par com o progresso, o espiritismo jamais será ultrapassado, porque se verdades novas demonstrarem que ele está em erro acerca de um ponto, ele modificar-se-á nesse ponto”.
Significa isto que o espiritismo é progressivo e não afirma verdades absolutas, NO SENTIDO DE UMA DOUTRINA QUE TENHA O EXCLUSIVISMO DA VERDADE…”

A CIÊNCIA MATERIALISTA ACADÉMICA E A CIÊNCIA ESPÍRITA

“…a ciência não tem que se encarregar do estudo da reencarnação, não é função dela. Há entretanto vários cientistas em várias universidades do mundo interessados no estudo de alguns fenómenos que, no campo da psiquiatria ou da psicologia, colocam o problema da reencarnação. Isso é uma decisão deles, mas o objeto das ciências é sempre do domínio material.
As ciências não admitem, pelo âmbito materialista dos seus estudos, as premissas fundamentais para estudar a reencarnação, que é a existência do próprio espírito.
(…)
Pode ser que as limitações da explicação desses fenómenos apenas à base do cérebro cheguem a um momento em que a ciência seja obrigada a DAR O SALTO. Quando a ciência já não conseguir de maneira nenhuma explicar certos fenómenos à base do estudo materialista do cérebro, passando o tempo, poderá ver-se obrigada a admitir OUTRA HIPÓTESE DE ESTUDO, nomeadamente a hipótese da existência do espírito.
(…)
Há pessoas que têm a certeza da sobrevivência da alma, porque:
– É UMA CERTEZA TÃO FORTE COMO A CERTEZA CIENTÍFICA – essa certeza pertence à ciência espírita, que é uma ciência tão boa como qualquer outra, só que está fundamentada em premissas diferentes.
A diferença entre as ciências depende muito das premissas de que elas partem. Não existe uma coisa que seja “a ciência” que concorde em tudo com ela própria.
(…)
Não há portanto “A CIÊNCIA”, há CIÊNCIAS, no plural; diferentes e de acordo com os teóricos que as adoptam. O que faz parte do progresso intelectual.
Nós acreditamos que a realidade do espírito se irá impor um dia como teoria muito sólida, até nas academias.
Vamos aguardar…”

PERGUNTA SOBRE A NECESSIDADE DE MODIFICAÇÃO DO ESPIRITISMO

“…Uma questão muito frequentemente abordada por certas pessoas é a de que o espiritismo precisa de modificações. O problema é que nunca apontam onde.
Não sendo dogmático e não considerando o espiritismo como uma obra perfeita, acho que quem quer mudanças deve dizer onde deveriam ser feitas.
Kardec recomenda em “A Génese” que se reflita sobre tudo; uma das características da doutrina espírita é de que exige, obriga à crítica e ao exame sério.
O espiritismo exige que se faça um exame sério das questões, convida a fazer uma crítica profunda.
O espírita não pode ser dogmático; tem que ser aberto.
Mas não pode ser aberto sem sentido de responsabilidade, não pode aceitar tudo o que aparece, o que é muito comum. Responsável não é o que aceita tudo; é o que aceita depois de crítica, de exame profundo, de reflexão…”


205 avulso pp

A estrutura didática de O LIVRO DOS ESPÍRITOS – PDF

(clicar neste título para descarregar ficheiro)

 

.

.

.

.

.

.

.

O método recomendado por Allan Kardec, palestra de Cosme Massi

.

 


RE CM 04

– para os interessados no método recomendado por Allan Kardec para estudar o espiritismo, apresento abaixo uma palestra do professor Cosme Massi reduzida a escrito em ficheiro PDF.

bt_test06


O professor Cosme Massi é uma presença destacada no panorama internáutico e editorial do Brasil na comunicação de ideias e de princípios situados na linha essencial do legado de Allan Kardec.
Para os interessados, apresentamos abaixo uma palestra sua reduzida a escrito em ficheiro PDF.

“…Para edificar a doutrina espírita Allan Kardec usou uma metodologia muito própria; a obra tem muito dele…”
“…a obra tem muito de Kardec, que foi seu coautor. Isso está demonstrado por vários autores”

palavras de Cosme Massi, nas respostas finais ao auditório de uma palestra aqui documentada


.

RE CM 05
.
“COMO ESTUDAR O ESPIRITISMO” de Allan Kardec – ficheiro PDF

(Para descarregar ficheiro, é favor clicar na frase)

 


.

.bt_test06

 


.

00571

flores e oliveiras silvestres do Portugal interior, turbilhão de luz com serras em fundo


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

O estado das almas após a morte – JOHANN CASPAR LAVATER – seis cartas de um sábio suíço 59 anos antes de “O Livro dos Espíritos”

>
>

Sophie Marie Dorothea Auguste Louise de Württemberg (1759-1828)
Sophie Marie Dorothea Auguste Louise de Württemberg (1759-1828)

>

Apresentação do trabalho que ao fundo se encontra em ficheiro PDF

– Correspondência que Johann Caspar Lavater, sábio suíço, endereçou a Maria Feodorovna, de seu nome de família Sophie Marie Dorothea Auguste Louise de Württemberg (1759-1828) segunda esposa de Paulo Petrovich Romanov (1754-1801), herdeiro de Catarina II e que viria a ser Paulo I imperador da Rússia; Seis cartas de um sábio suíço escritas 59 anos antes de “O Livro dos Espíritos” publicadas na REVISTA ESPÍRITA de ALLAN KARDEC em Março, Abril e Maio de 1868

É de crer que os dotes de mediunidade e a elevação espiritual de Maria Feodorovna e o manifesto interesse do seu marido no tema em questão possa ter levado o casal, que visitara Lavater na Suiça antes de Paulo Petrovitch ter ascendido ao trono, a solicitar-lhe os esclarecimentos que sabiam que ele poderia fornecer-lhes.
Aqui se publica, em documento PDF, a correspondência acima referida, cuja excepcional qualidade literária e o surpreendente nível dos conhecimentos e sensibilidade espírita surpreendem qualquer leitor por terem surgido muito tempo antes de ter sido codificada a doutrina em questão.

Já conhecia estes trabalhos de há muito por inclusão dos mesmos numa obra muito conhecida de Léon Denis, “O Porquê da Vida”.

A versão publicada que eu conhecia dessa obra, editada pela FEB, não refere a Revista dos Espíritos  de Março, Abril e Maio de 1868 como fonte dos textos e talvez por isso não publica os comentários de Allan Kardec e mais uma importante comunicação do próprio Lavater sobre o espiritismo, feita a 13 de Março de 1868 na Sociedade de Paris, pelo Senhor Morin, em sonambulismo espontâneo.

A versão em língua portuguesa a que recorri, foi colhida num importante instituto para o estudo da obra de Allan Kardec, há muito recomendado nas páginas de “espiritismo cultura” e de “espiritismo estudo”: o IPEAK, Instituto de Pesquisas Espíritas Allan Kardec.

Para que não haja equívocos, a primeira coisa de que faço anteceder esta publicação é a opinião de Allan Kardec a respeito dessas cartas.

LavaterJC
Johann Caspar Lavater, pintura de Alexander Speisegger, 1785, Gleimhaus Halberstadt

Johann Caspar Lavater (1741-1801), foi poeta, dramaturgo, teólogo e conselheiro espiritual da área do protestantismo, tendo estabelecido relações de amizade com muitos dos mais notáveis intelectuais e pensadores do seu tempo.
Uma das tarefas a que se dedicou – que nesse tempo suscitou vivo interesse – foi a criação dos estudos de fisiognomia, sobre a análise do carácter das pessoas com base nos seus traços fisionómicos. Foi um intelectual de vastos recursos, escritor dotado e homem de causas, sensível quanto à moralidade e à justiça, sendo notável a correspondência que trocou com individualidades culturais de elevada craveira da época em que viveu. A sua vida, riquíssima de empenhamentos de valor, acabou dolorosamente ao ter participado na resistência oferecida aos invasores franceses de Zurique.

O teor exacto da sua participação no exercício da mediunidade, a forma como adquiriu os vastos conhecimentos sobre o mundo espiritual e as suas regras antes de ter sido fundado o espiritismo, julgo serem um mistério oculto pelo tempo, podendo estar algures detalhes que não conheço.
Com efeito, a sistemática aversão da cultura oficial e académica perante os fenómenos da vida do Além, levaram a que o interesse de Lavater por essa temática fosse, mais do que falsificada e posta a ridículo, inteiramente escamoteada.
As árvores, sabemo-lo de boa fonte, conhecem-se pelos frutos. A árvore de Johann Kaspar Lavater produziu frutos cujo aroma perdurou pelos séculos e nós somos apenas um exemplo dos muitos espíritos que com eles se sentiram felizes e ilustrados.

Johann Caspar Lavater
O ESTADO DAS ALMAS APÓS A MORTE

 Para ter acesso ao trabalho completo em PDF é favor clicar

Em “espiritismo estudo” está publicada uma outra versão deste artigo mais fácil de descarregar para documento WORD, ou até para imprimir. Visitar por favor:

VERSÃO PARA COPIAR TEXTO WORD E IMPRIMIR

.

.

.