O Céu e o Inferno – Comparação entre a 1ª edição (1865) de Allan Kardec e a 4ª (1869) adulterada

Maria da Conceição Brites / Lousã Maio Junho de 2021

Acreditamos que todos os espíritas já tiveram conhecimento das adulterações dos livros de A. K., nomeadamente “A Génese” e “O Céu e o Inferno”, levadas a cabo logo após a sua morte, por antigos colaboradores, influenciados por Espíritos obsessores que queriam um regresso aos princípios das religiões dogmáticas.

Em A Génese houve alterações em quase todos os capítulos.

Em O Céu e o Inferno há uma enorme quantidade de diferenças, mas elas concentram-se sobretudo na eliminação do Prefácio e na transformação do capítulo VIII 1ª parte, que foi o mais adulterado. A seguir, o capítulo IV,  dessa 1ª parte, também foi suprimido parcialmente.
Sabemos já que os outros livros não foram modificados, havendo apenas dúvidas sobre “Obras póstumas”, publicado também depois da morte do Mestre, e cujo estudo ainda está a realizar-se.
Vamos neste estudo considerar as alterações realizadas em O Céu e o Inferno, e sabemos, confiadamente, que a 4ª edição é a única em que foi alterado o texto de Kardec, tendo sido publicada depois da sua morte. Juridicamente nem poderia circular pois é considerada obra apócrifa. Existe, naturalmente, a edição verdadeira, legítima, com as ideias originais de A.K., nas três edições publicadas em 1865. Inicialmente, a intenção deste trabalho era simplesmente o nosso esclarecimento, como sempre fazemos. Depois pensámos que, se pudéssemos ser úteis a mais alguém, tanto melhor.

Por falta de outras informações, as notas que inserimos referentes às adulterações foram quase todas retiradas e adaptadas de “Nem Céu nem Inferno” editado pela FEAL, em 2020. Os seus autores, Paulo Henrique de Figueiredo e Lucas Sampaio, são os investigadores que, com Simoni Privato Goidanich  mais se distinguiram na procura da verdadeira mensagem de Allan Kardec. As suas publicações estão à disposição de todos, só é necessário procurar. Sabemos que não é fácil, pois os livros brasileiros ainda são muito difíceis de adquirir em Portugal. 

Comparação, ponto por ponto, entre a 1ª e a 4ª edição, para facilitar a consulta do documento
Na 1ª edição o texto é tradução nossa. Se está em negrito é porque foi retirado na 4ª edição.
O texto sublinhado indica que não existe nos trabalhos de A.K., foi redacção do adulterador.
A vermelho vão as nossas observações.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s